FelipeFFalcão

Contos versos e poesias

Textos


TUDO ESTAVA CAMINHANDO PARA uma catástrofe financeira global. Todavia, o mundo não parecia perceber. Até que em 15 de setembro de 2008, um dos mais tradicionais bancos americanos, o Lehman Brothers, decretou falência. Esta, seguida por uma enorme queda das bolsas mundiais, marca o início de uma das mais severas crises econômicas que o mundo já conhecera. O Brasil parecia não está nem aí para aquele acontecimento, mas o cenário mundial em questão de dias iria sentir os efeitos da crise. O mudo ia mudar da noite para o dia.

 

Empresas, pequenas e grandes, bolsa de valores, governos, pessoas ricas e pobres, sem exceções, todos iriam sentir na pele a crise que se abateria sobre o globo. O grupo Nakamura iria ser um dos que iria sofrer uma queda atrás da outra. A primeira tempestade já estava chegando.

 

Takeshi já estava chegando em casa, quando o celular vibro no bolso do seu palito. O motorista estava parando a entrada do prédio quando ele atendeu ao celular. Como de costume, o motorista desceu e contornou o veículo para abrir a porta do passageiro.

 

- Chegamos senhor Takeshi. – disse Gross saindo de lado para que Takeshi saltasse do carro.

 

Takeshi apenas ergueu o indicador, sinalizando para que o motorista aguardasse.

 

- Sim Madeleine, estou chegando em casa. - Aconteceu alguma coisa?

 

- O senhor pode retornar ao escritório? Temos problemas, recebi uma dica que a polícia federal tem um mandato para busca e apreensão para o escritório, para ser executado amanhã.

 

Takeshi girou o indicador em círculo no ar para o motorista, indicando para ele dar a volta.

 

- Para onde doutor?

 

- De volta ao escritório.

 

 

A NOITE FOI LONGA. Ficaram no escritório até as três da manhã recolhendo tudo que fosse incriminador. Retiram uma van lotada de papeis, pastas e arquivos confidenciais. No mesmo momento que faziam a varredura no escritório, outra equipe fazia o mesmo em seu apartamento. Takeshi mandou a família para a fazenda em Goiás.

 

Depois de removerem todas as prováveis granadas do escritório e de sua residência. Takeshi foi para um hotel da família, no qual ele não precisava fazer checkin, em outras palavras, ele sumiu sem deixar rastro. Todavia, de onde ele estava podia acompanhar toda a ação da polícia a distância, por acesso remoto das câmeras de segurança do escritório, através do seu celular.

 

Os agentes chegaram ao escritório, sábado, as nove da manhã. Exibirão a ordem de mandato que lhes outorgavam o direito de vasculhar todos os dois andares ocupados pela empresa. Takeshi assistia a tudo a distância cada passo que eles davam. Outra equipe, chegaram ao seu apartamento quase que instantaneamente, porém, só encontraram o porteiro que nada sabia do paradeiro dos moradores da cobertura. Visto terem uma chave reserva de todos os apartamentos na administração. O Síndico foi a visado, e teve que acompanhar os agentes até o Ap e liberar o acesso ao mesmo.

 

Os federais cumpriram os mandatos, apreenderão computadores, tanto nos escritórios como na residência. O que eles não sabiam era que os computadores foram substituídos, por outros, contendo só as informações que não incriminavam a empresa em nada. As máquinas com informações comprometedoras, àquela altura não passavam de lixos recicláveis.

 

Depois que os agentes saíram do escritório, e de seu apartamento. Takeshi ligou para seu primo que tem uma loja de computadores e sistema de informática em geral, e, pediu que mandasse sua equipe para repor todas as vinte máquinas do escritório, e, fazer uma varredura a procura de escutas, se as encontrassem, deviam ser inutilizadas, de forma que a polícia não se desse conta. Em seguida, ligou para a secretaria que o informou do ocorrido, Takeshi agiu como se não soubesse de nada, pois haviam combinado previamente, em agirem assim, para o caso de os agentes terem plantados escutas nas linhas do escritório. Ele expressou estar estarrecido com a notícia, ao telefone para a sua secretaria. Diante do quadro, autorizou que emitisse um memorando dando folga para todos, exceto para os sócios, eles deveriam estarem em suas salas na segunda-feira, normalmente, isso daria autenticidade, ao contexto, haja vista, eles não tivessem tido conhecimento prévio do que aconteceu. O que por sua vez protegeria o seu informante.

 

Tendo concluído as ligações, depois de uma noite sem dormir, Takeshi estava exausto. Desceu ao restaurante do hotel, pediu café da manhã. Depois do café, voltou para o quarto, tomou um banho e foi dormir.

 

Continua...

Felipe Felix
Enviado por Felipe Felix em 24/04/2022
Alterado em 24/04/2022
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras